H

H
150 anos da Abolição da Pena de Morte em Portugal (1867-2017)

27 de fevereiro de 2010

Comemorações da República - sites

100 anos é um número redondo, muito redondo.
Comemorar um centenário é normal.
Os sites podem ajudar.


Para as comemorações do centenário, existe o site oficial do Centenário da República http://www.centenariorepublica.pt/ , com muitas informações sobre todos os acontecimentos que se vão registando com o objectivo de comemorar os 100 anos da República.


Inaugurada a 31 de Janeiro, na cidade do Porto, a exposição Resistência. Da alternativa republicana à luta contra aditadura (1891-1974)  http://resistencia.centenariorepublica.pt/expo/ tem um site que inclui uma cronologia com os principais acontecimentos de 1890 (o ano do Ultimato) a 1962.

A cronologia até poderá ser interessante para os vossos trabalhos.
Prof.

24 de fevereiro de 2010

Portugal na I Guerra Mundial - Diário de um soldado

Enquanto cuidava de mais uma mensagem, chegou-me o comentário de um António, a propósito de um blogue que publicou o diário de um soldado português que combateu na I Guerra Mundial.
Vou ler com atenção e divulgar nas aulas que ainda vou ter esta semana com os meus meninos do 6.º ano.
Obrigado ao António.

Comentário (para quem não seja dado à curiosidade de ver os comentários):

O Diário do Soldado Beijosense, José Pais dos Santos, na I Guerra Mundial foi publicado na íntegra em 2006 no Blogue Beijós XXI, da sua terra natal, Beijós - Carregal do Sal.


http://antoniopovinho.blogspot.com/2006/05/dirio-de-um-soldado-beijosense-na-1_15.html

Prof.

1.ª República - Ensino

Há 2 grupos, um no 6.º 6 (Larissa, Raquel e Vitória) e outro no 6.º 8 (Daniela, sozinha, a valer por muitos!), que vão tratar do tema do ensino na 1.ª República.
Não tem vindo a propósito falar desse tema aqui mas, como são boa gente - daquela que trabalha e se empenha no que faz - deixo aqui uma imagem de uma sala de aula "à republicana".
Imaginem-se aqui!!!
Para não dizerem que eu não me lembro de vocês!


«A ideologia republicana foi profundamente marcada pela crença no papel indispensável da educação e do ensino para a construção do "homem novo" e de uma nova sociedade.»
Maria Cândida Proença, A Educação, in História da Primeira República Portuguesa

Prof.

23 de fevereiro de 2010

Portugal na I Guerra Mundial - Exposição

Com especial interesse para os grupos que estão a trabalhar este tema:

Notícia do site da Presidência da República - http://www.presidencia.pt/?idc=10&idi=37011 :

Presidente inaugurou exposição Portugal nas Trincheiras – A I Guerra da República


O Presidente da República inaugurou a exposição “Portugal nas Trincheiras – A I Guerra da República”, que está patente, até 23 de Abril, nos Museus da Politécnica, em Lisboa.

Após ter prestado homenagem aos Combatentes da I Grande Guerra, o Presidente Aníbal Cavaco Silva visitou a exposição e cumprimentou um grupo de descendentes dos expedicionários portugueses.

A exposição, organizada pelo Museu da Presidência, insere-se no âmbito das comemorações do I Centenário da República e visa homenagear o Combatente Português da I Guerra Mundial.


Prof.

Trabalhos de Grupo - Como estamos

No 6.º 6, metade dos grupos não entregou o trabalho pedido.
Aguardo, mas há 3 grupos que vão receber indicações, ainda esta semana, para passarem à Fase II.

No 6.º 8, aguardo que os grupos me entreguem o que pedi: um plano/índice provisório do trabalho a realizar.
A Daniela + a Micaela e a Miriam (meio grupo - o outro meio não trabalha!...) já cumpriram a tarefa.
O Leandro, como esteve de baixa por causa do joelho, vai entregar a lista das páginas até 6.ª feira.

Prof.

Fichas corrigidas

Já está!
Não consigo ter o sorriso do lol.
 
 Também não posso dizer que estejam muito mal, mas... há sempre uns "totós do caraças"! É o pessoal que não se quer maçar. Marcar a sua presença na sala de aula já é esforço suficiente!
As três melhores fichas foram do 6.º 6 - Raquel, Miguel e Joana. A 4.ª (Alexandre) empata com a melhor do 6.º 8 (Miriam). Cláudia, Daniela e Madalena (todas do 6.º 8) vêm a seguir.
Depois vêm vários 60s % do 6.º 8.
No 6.º 6 há muitos 40s %.
Por isso, a média geral foi ligeiramente melhor no 6.º 8.

Como gostava que os resultados melhorassem (que não houvesse "totós")!
Os professores estão sempre de esperanças...
No nosso caso...


Prof.

20 de fevereiro de 2010

Uma questão de guerras

Guerra Peninsular (em que se integram as invasões francesas - 1807-1811), Guerra civil (entre liberais e absolutistas, 1832-1834), I Guerra Mundial (1914-1918)... são muitas guerras.

O "pequeno" de quem falei na mensagem "A República e as invasões francesas" leu-a e justificou-se com uma troca de nome das guerras, o que originou uma troca de datas, uma troca de assuntos...


Pintura da Batalha do Vimeiro (1808) e fotografia do embarque de tropas portuguesas para França (1917). Na primeira imagem, o exército luso-britânico combate as tropas francesas; na segunda imagem, o objectivo das tropas portuguesas era combater ao lado dos franceses, contra os alemães.

São as voltas da História...

... e as trocas e baldrocas de alguns alunos!


Prof.

Desafio n.º 2 - II - Resposta da Joana

Bom dia professor!!!!!!

Respondendo ao 2º desafio, eu penso que foi na data de 23 de Setembro de 1822.
Será que estou certa?

Joana Poço 6º6

Estás certa, Joana.
A chamada Constituição de 1822 foi o primeiro texto constitucional português.

Prof.

19 de fevereiro de 2010

Fichas de Avaliação e Dias Diferentes

Perguntavam-me vocês pelas fichas, respondia eu com as actividades destes dois dias!

Gostei de ver a Tânia concentrada e empenhada no jogo, a Luena a marcar um golo, a Patrícia rápida a defender, o Chris "de canelas à mostra" a ser o centro das atenções e esforços da equipa, os penteados do Jocelino e do Vander (o que há de comum?), a Francielly a arregaçar as mangas, o Daniel a atirar-se "para o molho", a Joana a correr, o Sérgio a festejar os golos, o Ivan a combinar a táctica, o José Paulo a mexer-se, a Filipa a fazer um esforço por cumprir (e lá esteve!), o Fábio a esgueirar-se por um extremo do campo, a Miriam concentrada a defender, o Gonçalo rápido (parabéns pela medalha no atletismo!)... e não falei de todos os alunos do 6.º 6 e do 6.º 8 que hoje lá estiveram nos jogos de Futebol Humano.

Foi bom ver-vos em acção!

No tempo da 1.ª República ainda não tinha sido inventado o Futebol Humano, só o outro. E também havia natação e ciclismo.

Reparem no estilo:














Prof.

18 de fevereiro de 2010

Regicídio - alterações de grupo e de tema

Na turma do 6.º 6 houve uma reorganização nos grupos de trabalho e o correspondente acerto no tema: a Adália juntou-se ao grupo da Francielly, Luena, Patrícia e Sofia. Acertámos que o grupo trabalharia sobre o tema do Regicídio, que era o tema da Adália.

A propósito deste tema, aproveito um outro desenho do suplemento especial do Diário de Notícias de 2 de Abril de 2006.

Aguardo, agora, que o grupo recupere o atraso que tem na apresentação do trabalho correspondente à 1.ª fase.

Prof.

17 de fevereiro de 2010

Fez hoje 100 anos

Encontrei esta notícia em:
Faz hoje 100 anos que... - http://www.centenariorepublica.pt/lista/faz-hoje-100-anos

17 de Fevereiro de 1910 - Inauguração do Museu Nacional da Marinha

Teve lugar a cerimónia de inauguração do Museu Nacional da Marinha.
A grande maioria das colecções expostas pertencia à secção oceanográfica D. Carlos I, sendo de destacar “a colecção de obras do falecido rei Carlos de Bragança e os aparelhos usados nas investigações científicas, a bordo do yacht Amélia”.
A cerimónia foi presidida por D. Manuel e estiveram presentes, entre outros, o Infante D. Afonso, os presidentes das duas câmaras, o corpo diplomático, os chefes da casa civil e da casa militar do monarca, a oficialidade do yacht Amélia, e o Major General.
(...)

Tempos da monarquia... ainda.

Prof.

Desafio n.º 2 - I

Desafio n.º 2
Mais fácil, muito mais fácil.

A actual Constituição foi aprovada em 2 de Abril de 1976 e entrou em vigor no dia 25 de Abril de 1976 (2 anos depois da revolução). É a Constituição de 1976, embora o texto já tenha sido revisto (alterado), em 1982, 1989, 1992, 1997, 2001 , 2004 e 2005.

Se tiverem curiosidade, podem encontrar o texto da actual Constituição em http://www.parlamento.pt/Legislacao/Paginas/ConstituicaoRepublicaPortuguesa.aspx
Desafio:
Recordem em que ano foi aprovada a 1.ª Constituição Portuguesa.



Já falámos dela no 1.º período.

Prof.

Palácio de Belém

A propósito do local do nascimento do último rei português, D. Manuel II, lembrei-me de um suplemento especial do Diário de Notícias (de 2 de Abril de 2006), na comemoração dos 30 anos da Constituição da República Portuguesa.
A actual Constituição, elaborada após o 25 de Abril de 1974, foi aprovada em 2 de Abril de 1976. 

Mas voltemos ao Palácio de Belém e apresentemo-lo como vem nesse suplemento do DN. 
Depois de palácio dos reis... palácio dos presidentes.


Cliquem em cima da imagem e poderão ver com mais pormenor.

Prof.

A República e as Invasões Francesas - Tristes confusões!

Ao fim de um mês, depois de muito já termos falado sobre a República e os trabalhos, um "pequeno" jovem - não digo o nome para não o envergonhar - colocou uma questão muito pertinente.

Perguntou ele se existia alguma relação entre o Bloqueio Continental, as Invasões Francesas, a fuga da Corte para o Brasil e a República!!!
Respondo: Tem tudo a ver!!! Napoleão ressuscitou no início do século XX, voltou ao seu trono de imperador dos franceses, acordou os adormecidos soldados, mandou invadir Portugal outra vez (a chamada 4.ª invasão francesa, muito esquecida pelos historiadores) e creio até que foi ele o primeiro presidente da República francês em Portugal.

Aviso: Este último parágrafo deve ser lido no dia 1 de Abril, dia das mentiras.

A pergunta feita revela uma profunda ignorância e, mais do que isso - o que é mais grave -, uma total desatenção em relação a tudo o que já falámos sobre o tema e sobre os trabalhos.
Talvez por isso, o grupo de que faz parte não fez ainda nada do que foi pedido.
Talvez por isso, também não deve(m) ter passado por aqui. Era pedir demais!

Mas as coisas são assim: uns procuram, perguntam, querem saber; outros... não querem saber!

Prof.

A idade de D. Manuel II

A Joana parece estar com a pedalada toda!
Depois de ter respondido ao desafio, enviou a seguinte mensagem:

Boa Tarde!!!!

No manual de História parte 2 na pág.10 diz que D.Manuel foi rei aos 19 anos e na revista " Visão História" diz que foi aos 18 anos.
A minha dúvida é: Qual é a verdadeira??



Fácil:
D. Manuel II nasceu em 15 de Novembro de 1889, em Lisboa (Palácio de Belém).
Ainda no dia 1 de Fevereiro de 1908, dia do regicídio, foi proclamado rei, tendo jurado respeitar/proteger a religião católica, a integridade do reino, a Carta Constitucional e as leis.

Que idade tinha quando começou a reinar?

Prof.

O Desafio n.º 1

Quando já pensava que todos os alunos estavam de férias, verdadeiramente de férias (como aquelas que têm muitas semanas e praia pelo meio), e que o desafio tinha sido tempo perdido - três alunos do 6.º 8 tinham-me falado de Aurélio Paz dos Reis e não escreveram nada! - eis que chegam, seguidinhas, duas respostas, as que foram apresentadas. Uau!!!

Prof.


Desafio n.º 1 - IV - Resposta da Joana

Olá professor!!

1.Aurélio Paz dos Reis foi um revolucionário repúblicano.
2.O que fez mais de significativo foi ter sido considerado o pioneiro do cinema em Portugal, por ter realizado e produzido um filme no seu país.
Espero que seja isto que o professor pretende.

Joana (6.º 6)

Desafio n.º 1 - III - Resposta do Miguel

Já fui ver quem é o Aurélio Paz dos Reis. Foi o Pioneiro do cinema em Portugal. Foi o primeiro a produzir um filme cá no nosso país. O filme foi "A Saída do Pessoal Operário da Fábrica Confiança", que é uma espécie de reprodução dum filme feito pelos irmãos Lumiére, que são os verdadeiros pioneiros do cinema em França.

Nasceu a 28 de Julho de 1862 e morreu a 18 de Setembro de 1931.

Fiz um bom trabalho! Não acha professor? eheheheh

Miguel (6.º 6)

9 de fevereiro de 2010

Desafio n.º 1 - II

Depois desta tarde ter estado com um grupo do 6.º 8 no CRE, estava à espera de ver a resposta da Cátia e do Gonçalo (e da Micaela) ao Desafio n.º 1, sobre Aurélio Paz dos Reis.

Afinal... Continuamos à espera que alguém diga quem era e o que fez este senhor de mais importante.


Prof.

O ensino na 1.ª República - Resposta à Francielly

Francielly
Gostei de te ver, hoje, no Centro de Recursos, à volta com o texto sobre as mudanças no ensino e no trabalho.

Quanto ao trabalho do teu grupo, chamo a atenção para o facto dele se centrar nas questões relacionadas com o trabalho / as condições laborais / as organizações sindicais / as greves. 
As reformas no ensino são tratadas por outro grupo.

No manual, estes dois temas aparecem juntos, mas separa (e deixa) aquilo que é o ensino.

Eu avisei-vos logo que o tema não é dos mais fáceis, mas vocês, até agora, não apresentaram nenhuma dúvida (à excepção das perguntas que me fizeste). Não tenho visto o grupo muito preocupado. Aliás, parece-me que, no geral, a turma do 6.º 6 não se tem preocupado com os trabalhos. 
 
Prof.

8 de fevereiro de 2010

Desafio n.º 1 - I

Agora que passou a ficha e se aproximam uns dias livres, a propósito da fotografia da capa da revista Visão História, deixo um primeiro desafio:
O autor da fotografia foi Aurélio Paz dos Reis.
E quem foi Aurélio Paz dos Reis? O que fez de mais significativo?

E quem será o primeiro a responder?
Fico a aguardar.

Prof.

Lol - Não publiquei comentário da ...

O 6.º 8 já fez a ficha...
O 6.º 6 é uma turma sem dúvidas... fará amanhã.
E eu não publiquei o comentário enviado hoje de manhã, durante a aula de AP do 6.º 8, pela ________ (não digo o nome), a propósito da "mapofobia".
Como vocês dizem: lol, lol, lol


Espero ficar assim depois de corrigir as fichas de avaliação.

Prof.

7 de fevereiro de 2010

Mapofobia (será que existe esta palavra?)

Há uma pessoa que espera que... não haja muitos mapas na ficha de avaliação.
Confirmo... não há... ou... há poucos, mesmo poucos...

Boa noite

Prof

Onde pára o Brasil nesta "história liberal"

Seguindo a cronologia do vosso manual (pág. 62) e o texto 3 da pág, 61, em 1831, D. Pedro abdicou da coroa imperial brasileira e embarcou para Inglaterra. Quando tomou essa decisão, para vir lutar ao lado dos liberais portugueses contra os absolutistas, comandados pelo seu irmão (D. Miguel), ele deixou o trono do Brasil a seu filho - D. Pedro II, do Brasil.

D. Pedro II

O mais importante desta história é saberem que (acontecimentos)...
1 - D. Pedro deixa o Brasil e parte em direcção à Europa.
2 - Na Europa, ele arranja dinheiro para comprar armas e contratar homens, organizando um exército liberal que se vai juntar aos liberais portugueses que estavam nos Açores.


Cidade de Angra do Heroísmo

3 - D. Pedro sai da ilha Terceira (Açores) à frente da expedição liberal que vai desembarcar numa praia próxima do Porto.
4 - Essas forças liberais vão ocupar facilmente a cidade do Porto.
5 - O Porto vai ser cercado pelos absolutistas - Cerco do Porto (1832) - facto que assinala o início da guerra civil.

Compreenderem que (porquê dos acontecimentos)...
- D. Pedro pretendia vir combater contra os absolutistas - queria acabar com os abusos de D. Miguel na governação de Portugal, queria repor um regime liberal - uma monarquia liberal - e queria que a sua filha, D. Maria II, fosse a rainha de Portugal.

Isto é fundamental saberem.
Filipa: agora já sabes quem ficou no Brasil, mas concentra a tua atenção no que aconteceu no nosso reino. E amanhã vais ver que as informações dos parágrafos acima podem ser importantes para a ficha.

Prof.

Dúvida sobre dúvidas - resposta à Filipa

Bom dia

Filipa:
Penso que te passei a apresentação sobre a guerra civil entre liberais e absolutistas (o mesmo que passei para outras colegas tuas - foram só meninas que trouxeram pens).

O que viste sobre as mudanças nos transportes e nas comunicações não era meu, pelo que não me senti autorizado a passar a ninguém. O que é meu posso dar, o que me foi emprestado não é meu.

Até por isso, todos passaram os esquemas/quadros para o caderno.
Mas diz-me lá, em directo e ao vivo, que dúvidas tens (ou envia as tuas dúvidas para o endereço que forneci carloscarrasco@ave-paulo-gama.net ).

Prof.

6 de fevereiro de 2010

Revista de história sobre Portugal há 100 anos

Ontem comprei a revista Visão História. Esta...



Estou aqui a fazer publicidade (e ninguém me paga para isso!), mas este número é dedicado a Portugal nas vésperas da implantação da República.
A República estava mesmo aí a chegar!

Tem alguns textos com informações que interessam para muitos dos trabalhos de grupo e fotografias engraçadas da época. Custa 5 € (informação para quem possa ter interesse em comprar a revista). Já pedi para ser adquirida para o Centro de Recursos da escola.

A menina da capa é filha do fotógrafo Aurélio Paz dos Reis, autor desta foto, tirada na época de Natal de 1909.
Apesar do seu apelido, Paz dos Reis até era republicano. 

Prof.

Censos e Recenseamentos - Resposta à Tânia

Bom dia, jovens (sobretudo à Tânia)

Censo significa (entre outros significados possíveis - Grande Dicionário da Língua Portuguesa, coordenado por José Pedro Machado) recenseamento geral da população (...).
Estás a ver a utilidade de um dicionário?

Espero que comprendas do que se tratava e qual a utilidade dos recenseamentos - o assunto vem muito bem explicado na página 73 do teu manual - mas não te preocupes especialmente em decorar os conceitos que lá vêm.
Bom fim-de-semana (e bom estudo, considerando a ficha de avaliação).

Prof.

4 de fevereiro de 2010

Atlas e Friso - Resposta rápida ao Gonçalo e conselho para todos - que grande título!

Boa noite, Gonçalo

Já deve ser um pouco tarde para ti, mas só agora abri o correio.
Se tiveres oportunidade - tempo - resolve as questões do Atlas/Friso. Não quero que me entregues o Atlas amanhã, mas já fica adiantado o trabalho, numa altura em que a matéria está fresca, em vez de guardares para mais tarde, quando já não te recordas bem de alguns pormenores e ficas um pouco perdido.

Este conselho é válido para todos!

Durmam bem
Prof.

1 de fevereiro de 2010

1 de Fevereiro de 1908 - O regicídio


Estamos numa fase de muitas efemérides.
Ontem, o 31 de Janeiro (1891).
Hoje, o 1 de Fevereiro (1908).
O rei D. Carlos, acompanhado pela rainha D. Amélia e pelo príncipe Luís Filipe, regressava de Vila Viçosa. Tinha viajado de comboio até ao Barreiro. Atravessou o Tejo de barco. No cais, entre várias personalidades, estava D. Manuel, o filho mais novo de D. Carlos. Entraram os 4 na carruagem, que se dirigiu para o Palácio das Necessidades. 
Mas o percurso foi subitamente interrompido, logo no Terreiro do Paço. O rei e o príncipe foram atingidos a tiro, falecendo ambos.


Pormenores? Aguardemos pelos trabalhos dos grupos que vão trabalhar sobre o regicídio.












Prof.